por Iris Melo

A contracultura hippie nasceu nos Estados Unidos durante a década de 60, marcando a época com uma linha de pensamento político-social que apoiava a revolução sexual, o amor livre e outras primícias.

Os hippies deixaram legados importantes como a filosofia ao amor, à música, o respeito ao próximo e à natureza. E, claro, deixou um estilo único com suas peças de roupas e acessórios, o que, atualmente, após uma repaginação, muito bem elaborada, fez surgir o Hippie Chic!

A moda hippie dos anos 60, e meados dos 70, ganha uma nova nomenclatura: bohemian chic ou boho. Na verdade, o que se vê é uma grande mistura do estilo gipsy romântico com o antigo hippie. Cabelos ao natural, muitos colares, anéis, pulseiras, chapéus e, claro, muitas cores, compondo um novo estilo para as mulheres.

De passarelas ao casual, a moda hippie chic se desdobra e se reproduz mundo a fora. Esse estilo é, sem dúvida, caracterizado pela cartela de cores fortes, vibrantes e alegres. Vestuário de tecidos leves, transparências, chapéus e muita ousadia.

A cultura hippie se manifesta, hoje em dia, de diversas maneiras. Os óculos escuros de diferentes formatos, por exemplo, e os acessórios extravagantes, desde brincos aos colares variados.

A moda hippie tem sido repaginada por grandes estilistas e grifes fenomenais. Hoje os braceletes são top de linha, quer sejam bijus finas ou peças ricamente confeccionadas em ouro e diamantes por joalherias como a Tiffany.

Calças pantalonas, camisas justas (skinny), saias e vestidos longos (grife Animale), macacões antes em cetim, agora em tafetá de seda… total glamour.

Mil e um acessórios, colares e brincos longos, sandálias de cunha, rasteirinha ricamente elaborada com pedra ou metal, plataformas e botas. Tudo isto cravado na antiga moda hippie.

Com leitura elaborada e mais “refiné”, a moda hippie chic nos traz propósitos de cores vibrantes no verão e nude no inverno.

As grandes grifes parisienses, como a Ashley Olsen, Chanel, Kate Moss, Elie Saab, DG, já lançaram looks lindíssimos com influência gritante da moda hippie. Sim, o mundo fashion – Milão, Paris e Nova Iorque – já se rendem aos hippies.

Paz e amor! É inegável o impacto causado por esse estilo na sociedade. Segundo a professora do curso de designer de moda, Maura Maldona, é cada vez mais evidente essa influência. “Atualmente encontramos duas vertentes do hippie: uma mais alternativa, que compreende pessoas alheias ao meio fashion e adotam um estilo de verdade e outros mais elegantes finas, que desfrutam do hippie chic”.

Desta forma, a tendência é atemporal, dinâmica e que tem como vantagem estar sempre retornando às vitrines das lojas. É algo que vai e volta em curtos períodos de tempo e com repaginação cada vez mais luxuosa.

O glamour desta moda está diretamente ligado ao ser livre, como demonstram as peças leves, fluidas e floridas. Sedas ao vento com um jeito casual e ideal para o verão.

Este estilo conta com peças clássicas, vestidos e saias longas, pantalonas, batas, jeans, camisetas brancas que sempre irão combinar com tudo.

Como os hippies utilizavam muitas cores, o ideal é tomar cuidado para não exagerarmos.  Seria legal se empregarmos junto a esta tendência o high low, que é quando pessoas misturam uma peça mais sofisticada com algo mais básico. Posso exemplificar desta forma: um short rasgado com cara de velho, somado a um sapato de salto elegantíssimo da Chanel e uma camiseta branca com lenço de seda da Dior… perfect!

Uma bolsa (estilosa, de influência hippie) trabalhada em dourado e prata com certeza dará um charme especial a um look básico.

Falando em bolsas, aliás, elas sofreram várias alterações com relação à estação passada. Já não são tão grandes como antes. No entanto, ressurgem de forma mistificada e aí novamente grandes, a chamada “bolsa saco”, o que vem ratificar a moda hippie e sua estabilidade no verão.

A moda retrô é sempre bem vinda, pois nos dá mil opções de novas texturas, novas produções e oportunidades de encontrarmos em nosso closet peças fundamentais para um look do momento.

A força da moda hippie chic ficou verdadeiramente confirmada com a nova coleção de lingeries da Victoria’s Secret, que não se intimidou e reinventou a moda para essas peças, inspiradas nos anos 60 e 70, efetivamente trabalhadas no estilo hippie. Fator de sucesso e aplausos em seu desfile. O chick de Victoria’s Secret são as lingeries (moda de creminhos, shampoo, perfumes). A loja top fica na 5ª Avenida em Nova Iorque, um luxo que proporciona total privacidade para comprar peças íntimas em local especializado. Um Must!

Com forte influência da moda print em porcelana portuguesa, um look sugerido é a calça pantalona desta estamparia, batas fluídicas, cabelos longos, uma magnífica bolsa saco, uma cruz em pedras azuis. Um look perfeito diante dos segmentos atuais.

Alguém prestou atenção na atriz Paola de Oliveira, da novela Amor à Vida? Bom, eu prestei! Suas roupas são estilosamente hippies (Peru), moda que está pirando a cabeça de várias meninas. Gosto do estilo para passar energia boa e bons fluidos. A regra é livre, mas sem tanto esoterismo. Tecidos bordado à mão, muitas pulseiras e braceletes em prata e pedra, sim! Tecidos pesados, estampas escuras não! Isso não combina com a linhagem desta moda, que passa a impressão de liberdade e expressão contando com muita atitude.

Use, mas não abuse! A dica é de um vestuário em mix. Retrô hippie com novas tendências. Não deixe passar a ideia do desleixo em usar a moda hippie, o fino é ser chic com categoria, bacana é uma produção elaborada.

A moda hippie é muito bem vinda, mas sugiro poucas peças e que elas sejam atualizadas com bom gosto. Tecidos finos, cabelos longos e maravilhosos, desta forma no verão você irá brilhar!

Verão de paz e amor!

Até breve…

Deixe uma resposta

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.